ead-if3

  

Ambiente-virtual-campus-machado

   estacao-cultura

 fadema

 selo-acesso1

dominio-publico

 CAPES

sisreq2

ouvidoria

Notícias Noticias 2017 Comemoração 60 anos
Comemoração 60 anos

Em festividade com cerca de 200 pessoas, Campus Machado comemora aniversário de seus 60 anos 

DSC 0001Uma tarde de homenagens, reconhecimento, orgulho e muita emoção! Assim foi a cerimônia em comemoração ao aniversário de 60 anos do Campus Machado. Cerca de 200 pessoas participaram da solenidade realizada na tarde desta segunda-feira, 03 de julho, e transmitida pelo canal do IFSULDEMINAS no Youtube. Autoridades dos poderes Executivo e Legislativo, empresários, apoiadores, ex-reitores, reitor, pró-reitores, diretores, servidores ativos e aposentados, alunos,representantes da imprensa e comunidade estiveram no Espaço Sociocultural do Campus para prestigiar.

Para compor a mesa de honra foram convidados o reitor do IFSULDEMINAS, professor Marcelo Bregagnoli; o diretor-geral do Campus Machado e anfitrião do evento, professor Carlos Henrique Rodrigues Reinato; Priscila Tossani Mariano, representando o deputado estadual, Emídio Alves Madeira Júnior; o secretário de Esportes de Machado, Lúcio Gonçalves, representanto o prefeito do município, Julbert Ferri de Morais; e o presidente da Câmara de Vereadores, Erivelto Angelo.

Carlos Henrique, diretor do campus, abriu oficialmente a cerimônia. Ao fazer uso da palavra, agradeceu a DSC 0731presença de todos e falou sobre a importância do momento para a instituição e do Campus para a história de Machado, ressaltando o pioneirismo e a ousadia dos primeiros servidores. “Minhas primeiras palavras são de gratidão a todos que contribuiram e estão contribuindo com o Instituto Federal do Sul de Minas – Campus Machado. Tenho plena consciência do que representa: uma trajetória de trabalho e de dedicação por uma educação profissional de qualidade”. O diretor enalteceu o esforço e dedicação dos inúmeros colaboradores que, muitas vezes, em silêncio e no anonimato, contribuíram para o “fazer escolar”. Em suas palavras, “realizar aquilo que considero divino, a capacidade de educar para a vida”, comentou.

Em seu discurso, Erivelton Ângelo, presidente da Câmara, comentou que, pela primeira vez, foi publicada uma resolução para alterar a data de uma reunião ordinária. Assim, na segunda-feira passada, 26 de junho, os vereadores puderam comparecer à homenagem realizada em Belo Horizonte, pela Assembleia Legislativa de MG ao Campus. “Feliz de um povo, de uma cidade e de seus agentes políticos que podem reverenciar suas instituições. Dia 03 de julho, uma data histórica para todos. Como vereador, posso testemunhar muitos projetos que estamos executando em parceria com esta instituição de ensino”. Ao finalizar seu discurso, fez questão de deixar uma reflexão: “o que seria da cidade de Machado sem a Escola Agrotécnica Federal, sem a Escola Agrícola e sem o Campus Machado?”

DSC 0754Além de saudar os presentes, o reitor do IFSULDEMINAS, professor Marcelo Bregagnoli, fez uma menção especial aos servidores aposentados, pela contribuição ao desenvolvimento do campus e pela satisfação em comemorar essa data tão especial. Bregagnoli parabenizou o diretor por proporcionar esse momento, pela valorização do aspecto humano, reforçando o discurso de Carlos Henrique, ao citar que “a infraestrutura é apenas um componente da qualidade de vida que se almeja dentro de uma instituição de ensino”. Ele ainda se dirigiu aos ex-reitores e aos ex-diretores, falando sobre a responsabilidade assumida na gestão. “Só quem está na solidão daquela cadeira sabe o que se passa ali. Cada um de vocês sabe o que é ser gestor de uma instituição. Cada um tem no coração tudo o que foi feito para que chegássemos até aqui, um campus bonito, centrado e coeso. Meu muito obrigado a vocês”. Dirigiu-se também a sua equipe e a equipe envolvida na organização do evento, agradecendo o apoio.

Entrega das homenagens

Durante a cerimônia, a história do Campus Machado foi lembrada, desde a promulgação da lei que autorizava a instalação de escolas dedicadas ao ensino agrícola aos tempos atuais. Nessa trajetória, destacou-se o papel exercido por servidores que contribuíram para que a instituição se tornasse a referência que é hoje. Esses atores fundamentais receberam uma placa de homenagem pelos serviços prestados. A entrega das homenagens representou o reconhecimento a todos que participaram da consolidação do IFSULDEMINAS – Campus Machado.

DSC 0081João Arnaldo Vieira, filho do ex-prefeito de Machado, Dr. João Vieira da Silva, que simbolizou a pedra fundamental para a construção do campus, recebeu uma das primeiras homenagens. “Um país sem memória é um país sem futuro. Tal dizer expressa muito bem o caminho percorrido por essa instituição. Ao olhar para o futuro, sem perder suas raízes, esse Instituto Federal sempre procurou transmitir aos jovens em busca de conhecimento, não apenas técnicas científicas, mas, uma formação acadêmica para exercer um papel de cidadão digno, honesto e consciente de sua responsabilidade profissional, buscando o amor por sua cidade, seu estado e país, como foi o exemplo transmitido pelo nosso pai”, disse em seu agradecimento.
Seguiu-se a entrega das homenagens ao reitor do Instituto, Marcelo Bregagnoli, ao ex-reitor Sérgio Pedini, aos ex-diretores Walner José Mendes, Renato Ferreira de Oliveira, José Renato Macedo, Rêmulo Paulino da Costa, João Virgílio Maranesi Caixeta e ao atual diretor Carlos Henrique Rodrigues Reinato. Receberam a homenagem póstuma, os familiares dos ex-diretores Marcelo Diógenes Maia, Casemiro Olavo da Silva Freire, José Tales Magalhães e Marcos Eustáquio de Andrade.
Foram convidados diversos servidores ativos e aposentados para a entrega das homenagens: Samuel Ricardo da Silva, Celso Leal, Aristeu Bottazzini Pereira, José de Alencar de Carvalho, Magaly Vieira Guerra Godoy, entre outros.
Para finalizar, a Corporação Musical União de Machado, uma das mais antigas bandas de música do sul de Minas, interpretou um repertório com seis canções na área externa do Espaço Sociocultural. Em seguida, foi servido aos participantes café, lanche e um bolo, em comemoração aos 60 anos.

Cobertura da imprensa
DSC 0603

DSC 0598Representantes da imprensa registraram o evento: Folha Machadense, Gazeta Machadense, Band Minas, EPTV Sul de Minas e Estação Cultura FM. Em entrevista à EPTV, o reitor do Instituto, professor Marcelo Bregagnoli, falou sobre o envolvimento da instituição com a sociedade por meio dos arranjos produtivos locais. “Isso significa que o IFSULDEMINAS tem uma relação direta com o desenvolvimento da região, sobretudo o sustentável. De 2008 para cá, saltamos de três unidades, com quase quatro mil alunos, para oito unidades com aproximadamente 55 mil. Essa é uma marca não só quantitativa, mas também qualitativa. Não somos só referência na área agrária, mas muitas normativas da Rede Federal passam pelo IFSULDEMINAS”, disse.

Confira a cobertura da EPTV!

Depoimentos

DSC 0104Walner José Mendes, ex-diretor do Campus Machado, tem orgulho de dizer que também é ex-aluno do antigo Ginásio Agrícola. Ele ingressou em 1974, cursou do quinto ao oitavo ano e continuou os estudos como estudante da primeira turma do Técnico em Agropecuária. Em 1978, foi o presidente fundador da Coetagri, a primeira cooperativa dos discentes. Após se formar, em 1980, começou a trabalhar como técnico na instituição. Depois de sete anos, foi enquadrado como professor, atuou como coordenador da cooperativa, do CIEC. Foi presidente da Associação dos Servidores da Escola Agrotécnica Federal de Machado (ASSEAF) e diretor por dois mandatos. “Quando assumi o primeiro mandato como diretor-geral, tínhamos 680 estudantes. Ao sair, em 2014, eram mais de 2 mil. Foi um crescimento muito grande. É como se o desenvolvimento de 50 anos tivesse dobrado, só que em apenas quatro anos. Nunca se investiu tanto em investimento tecnológico do que nos últimos anos e me sinto privilegiado por ter feito parte desse momento de expansão”, comentou.

A professora Magali Godoy é muita querida pela comunidade acadêmica. Começou a trabalhar na instituição em 1958 e tem a satisfação de contar que possui muitos ex-alunos. Sempre convidada aos encontros de egressos, fala com carinho do tempo em que atuou na escola. “Lecionava diversas disciplinas; não me guiava pelos métodos tradicionais, procurava instigar os estudantes. Um ex-aluno me contou que fui a primeira professora a ensinar sobre ecologia e isso foi muito compensador, muito gratificante mesmo, fazer parte de um momento importante para ele”, disse.

O servidor aposentado Francisco Eleotério contou que ingressou como auxiliar técnico em Agropecuária, quando ainda era Ginásio Agrícola e que vivenciou muitos momentos de dificuldades até que a escola se firmasse. “Teve uma época que fiquei um longo tempo sem receber salário, mas pensei: vou continuar, pois aqui é o meu futuro. Antigamente as coisas eram mais difíceis. Tenho muito orgulho e gratidão por essa escola; passei por muitos diretores, estudei meus filhos, fiz muitos amigos e fui muito feliz aqui”.

A história do Campus

foto 03No começo do século XX, havia uma proposta ruralista no Brasil para que fossem criadas instituições de ensino que atendessem às particularidades da população do campo. Seguindo esta lógica, em 1936, é promulgada a Lei 199, que autorizava o governo federal a celebrar acordos com os governos estaduais, para instalarem escolas destinadas ao ensino agrícola no país.

Doze anos depois da promulgação da Lei, em 1948, ocorrem as primeiras iniciativas para a construção de uma escola agrícola em Machado. Isso teria acontecido por indicação do deputado Israel Pinheiro, amigo do então prefeito da cidade, João Vieira da Silva.

Em 22 de outubro de 1948 foi celebrado na Secretaria de Estado de Negócios de Agricultura, no Rio de Janeiro, o acordo que autorizou a instalação de uma Escola de Iniciação Agrícola em Machado.

Em 8 de dezembro de 1948 a Câmara Municipal da cidade decretou e o prefeito João Vieira da Silva sancionou a lei que regulamentava a doação à União, de uma gleba de terra com área de 63 alqueires e uma quarta para a instalação das dependências da escola.

Muitos processos e acordos depois, a construção da instituição de ensino teve início, em 1949, sob a chefia do engenheiro agrônomo Milton de Miranda e posteriormente, sob a direção de José Thales Magalhães.

Inicialmente, foi denominada Escola de Iniciação Agrícola de Machado. Em 1964, foi intitulada Ginásio Agrícola. Já em 1978, passou a ser denominada Colégio Agrícola. Tornou-se Escola Agrotécnica Federal de Machado, em 1979 e, finalmente, em 2008, com a fusão das escolas agrotécnicas de Inconfidentes e Muzambinho, passou a Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas - Campus Machado.
Para resgatar parte desta história, o campus trabalhou, durante um ano, na elaboração do livro “Campus Machado – 60 anos de tradição e desenvolvimento”, que será lançado e distribuído ao longo deste ano.

Infraestrutura, desenvolvimento e atuação

aereaCom 144 hectares, o Campus Machado abriga diversos e modernos laboratórios, dezenas de salas de aula, auditórios, poliesportivo, quadras, cafeteria, secretarias, setor administrativo, além da agroindústria, laticínios, padaria, refeitório, mecanização, serralheria e carpintaria, setores de apicultura, avicultura, bovinocultura, caprinocultura, cunicultura, equinocultura, psicultura e suinocultura.

Com mais de 1.600 alunos presenciais, a unidade oferta cursos técnicos integrados ao Ensino Médio, subsequentes, cursos superiores e de pós-graduação, sendo referência em ensino público, gratuito e de qualidade. Também garante o acesso e moradia a 272 estudantes internos dos cursos técnicos e superiores.

A estrutura de ensino a distância conta com 1.630 discentes, divididos em 15 polos. Um mestrado profissional na área de Alimentos possui 20 alunos aprimorando os conhecimentos. Ao todo, são 91 professores efetivos, 14 substitutos, 104 técnicos administrativos e 112 terceirizados que compõem a equipe de trabalho.

Além da infraestrutura onde acontecem as aulas, o Instituto conta também com o Centro de Excelência do Café, que serve de suporte à realização de outras atividades. No centro de Machado, o campus abriga o antigo Instituto Brasileiro do Café (IBC), onde é desenvolvido o projeto social Resgatando Vidas. Mais recentemente, o Campus tomou posse do Horto Florestal da cidade, no qual são realizados diversos trabalhos.

Em Poço Fundo, o Campus Machado possui um núcleo avançado. Além de programas do governo Federal, como Pronatec e PIBID, desenvolve ações com apoio da FADEMA, Fundação credenciada junto ao Ministério da Educação e parceira do IFSULDEMINAS. Abriga ainda a Estação Cultura FM – 96,3 – emissora de rádio que leva entretenimento e muita informação sobre as atividades do instituto federal a mais de 30 municípios.

 

Texto: Érika Pereira Vilela

Fotos: Jacssane Andrade e Diego Souza

comunica.machado@ifsuldeminas.edu.br
04/07/2017

facebook 

 

twitter

 

 

 

 

sele instituto federal

selo rede de ensino