Ouça a Rádio Estação Cultura 96,3 FM

  ambiente virtual

ESTAÇÃO CULT

FUNDAÇÃO

ACESSO A INFOR

DOMINIO PUB

CAPES

sisreq

ouvidoria

 

Notícias Notícias 2018 Microrganismos Benéficos
Microrganismos Benéficos

Pesquisa do Campus Machado busca controlar o odor e reduzir as moscas na suinocultura com microrganismos benéficos.

DSC 0989Uma pesquisa desenvolvida no IFSULDEMINAS - campus Machado pela acadêmica de Zootecnia Viviane Ligori, do 7º período, pretende analisar o efeito de microrganismos benéficos no controle do odor e das moscas na suinocultura. Segundo a professora orientadora, Lêda Gonçalves, “o mau cheiro incomoda os servidores, alunos e demais pessoas que trabalham no setor. Além disso, as moscas causam estresse nos animais e são causadoras de várias doenças. A ideia é buscar um tratamento alternativo. Inicialmente estão sendo usadas armadilhas adesivas para atração, captura e manejo dos insetos. Isso permitirá sua quantificação e avaliação da eficiência dos microorganismos no controle. Quanto ao odor, usaremos os microrganismos cedidos por uma empresa especializada, a Korin. Eles são excelentes decompositores e aceleradores de decomposição”.

Diferencial do trabalho

O trabalho prevê uma avaliação inicial sobre a percepção do cheiro e o grau de incômodo. Estão sendo ouvidos 40 servidores, semanalmente, durante dois meses. Viviane explicou que o diferencial da pesquisa é que não foram encontrados, na literatura, projetos científicos da utilização dos microrganismos no controle do odor e das moscas em suinocultura. “O que há é apenas o relato de empresas que vendem o produto, muitas vezes sem fundamentação científica. Assim, vamos testá-lo e ver seu efeito. Estamos trabalhando em itens que ainda não foram avaliados, como a reação do produto no controle dos insetos. Queremos conhecer, também, a influência do clima (temperatura, umidade e precipitação) na intensidade do odor e na população das moscas.

Para o engenheiro agrônomo Reinaldo da Costa Botelho, representante da Korin, a ideia é contribuir com a orientação sobre o uso e na avaliação dos resultados. “Para nós é muito interessante, para que montemos um banco de dados na área de suínos. É uma via de mão dupla: auxiliamos a instituição fornecendo o insumo e resolvendo seus problemas e, como retorno, temos os resultados para nortear a utilização e confirmar a efetividade do produto. A expectativa é grande”. Saiba mais sobre o grupo em: www.korin.com.br

 

 

 

Texto: Ascom Machado
Fotos: Jacssane Andrade
comunica.machado@ifsuldeminas.edu.br
10/05/2018

Atualizado em 11/05/2018

facebook  

twitter

 

 

 

 

sele instituto federal

selo rede de ensino